Translate this Page
Ultimas Atualizações
RAÇA ESPANHOLA  (23-06-2017)
CRIADOURO GOUVEIA  (23-03-2017)
DIAMANTE DE GOULD  (23-03-2017)
ARLEQUIM PORTUGUÊS  (02-08-2016)
CONHECENDO
QUAL A CATEGORIA QUE MELHOR LHE DEFINI ?
CRIADOR PORTE
CRIADOR COR
CRIADOR CANTO
CRIADOR EXÓTICOS
CRIADOR SILVESTRES
SIMPATIZANTE
Ver Resultados

Rating: 2.7/5 (919 votos)




ONLINE
1




Partilhe este Site...




DIAMANTE DE GOULD
DIAMANTE DE GOULD

Image and video hosting by TinyPic

 

INTRODUÇÃO

 

No início do meu contato com a espécie , notei uma grande dificuldade de literatura a respeito da raça , achava artigos artificiais que satisfaziam a um leigo porém quando o criador se aprofundava mais , sentia carência de informações mais técnicas a respeito do assunto . Nesse pequeno trabalho que agora  apresento , há  informações mais aprofundadas , ideais para aqueles que buscam pela excelência da raça Diamante de Gould .

Antes de tudo , saliento que a raça tem uma complexa genética , para compreendermos o assunto darei uma pequena base a respeito da genética com as terminologias usadas na raça Diamante de Gould .

 

ALGUMAS DEFINIÇÕES GENÉTICAS

 

 

Como iremos tratar muito desses termos, abaixo vai um breve relato de termos genéticos que serão usados nesse artigo e precisamos ao menos conhecê-los:

 

Image and video hosting by TinyPic

 

Acima temos exemplificado um par de cromossomos  ou par homólogo. Esse par de cromossomos consiste em dois cromossomos (1 e 2), os quais são semelhantes em forma e função.

 

Na ornitologia temos duas classificações para os pares de cromossomos, os cromossomos sexuais e os autossomos.

 

Os cromossomos sexuais são um único par de cromossomos que determina o sexo da ave. Aqui são representados por Z e W . A ave macho possui dois Z (ZZ)  e a fêmea  carrega um Z e um W (ZW). Apenas o cromossomo Z pode levar informações para a cor. Ao nosso propósito a única função do cromossomo W é determinar se a ave é fêmea  e não parece levar informações para a cor. Assim, quando uma cor específica é transmitida pelo cromossoma Z, podemos dizer que é sexo-ligado.

O outro tipo de cromossomos que citamos são os chamados autossomos , eles incluem todos os pares exceto os cromossomos sexuais . Para exemplificar vamos considerar o nosso par de cromossomos 1 e 2 autossômico , ambos os sexos podem carregá-los.

 

Image and video hosting by TinyPic

O circulo em cada cromossomo é chamado de “locus”, é a posição em que um dado gene ocupa no cromossomo. Cada locus é representado duas vezes no gene (sempre estarão repetidos na mesma posição nos dois cromossomos)

Image and video hosting by TinyPic

 

Acima temos um par de cromossomos possuindo dois genes iguais (cor roxo) em cada locus. Quando o par de  cromossomos possuem gens iguais no mesmo locus em cada cromossomo podemos chamá-lo de homozigoto ou também duplo fator para o gene representado pela cor roxo . Vamos supor que esse gen representa a cor do peito , o pássaro com esse par de cromossomos teria um peito roxo  . Poderíamos dizer que essa ave é homozigoto ou duplo fator para peito roxo.

 

Image and video hosting by TinyPic

 

Acima temos outro par de cromossomos , só que dessa vez não temos o mesmo gen no locus . Quando isso acontece denominamos heterozigoto. Podemos dizer que essa ave é fator único para o gene branco ou respectivamente fator único para o gene roxo .

No locus “a” do cromossomo 1 temos um gen roxo e no locus “a” do cromossomo 2 temos seu alelo . É uma variação do peito roxo que contém informações para deixar o peito branco  ao invés de roxo . Podemos dizer então que o genótipo ( composição genética ) dessa ave é de fator único para peito branco e de fator único para peito roxo . Mas afinal , possuindo os dois caracteres qual característica apareceria ( fenótipo ) .

 

Em resumo , qual dos dois alelos vai ser determinante para o fenótipo da ave ( manifestação física do gen ) . A resposta é que um dos dois alelos é dominante . Se o alelo roxo for dominante a ave terá um peito roxo  e carregará o gen branco ( portador ) , nesse caso denominamos o gen branco de recessivo e a ave é dita portadora de peito branco . Em algumas situações o gen pode não ser nem recessivo nem tampouco dominante e a cor será uma mistura em partes iguais de ambos os gens . Se o branco e o roxo não forem dominante nesse caso teremos uma ave de peito de cor entre o branco e o roxo .

É claro apenas exemplificamos acima , mais a frente citaremos os gens dominantes e recessivos com relação ao Gould , não se preocupem .

A seguir baixo temos alguns termos genéticos com as suas definições :

 

PAR DE CROMOSSOMOS : é um par de cromossomos que são semelhantes em forma e função mas podem variar na sua composição genética ;

ALELO : formas alternativas de uma mesmo gene , cada qual afeta a característica hereditária de maneira um pouco diferente ;

CODOMINÂNCIA  : Não existe alelo dominante no cromossomo , os dois são expressos ao mesmo tempo e gerarão um meio termo fenótipo das duas características .

AUTOSSÔMICA : quaisquer cromossomo que não seja sexual , essa característica é herdada em qualquer par de genes desde que não seja cromossomo sexual  

DOMINANTE :  o gen dominante é aquele que determina o fenótipo da ave mesmo quando é fator único no genótipo ;

RECESSIVO : o gen é coibido na presença de um gen dominante , apesar de presente ele não se manifesta no fenótipo da ave

HOMOZIGOTO : Alelos presentes em um mesmo locus e que determinam certa característica , são iguais ;

HETEROZIGOTO : Alelos presentes em um mesmo locus e que determinarão certa característica  são diferentes ;

GENÓTIPO : Composição genética de um organismo inclusive aqueles que não se manifestam visualmente  mas estão presentes no cromossomo;

FENÓTIPO : É a interação do genótipo com o ambiente . É              a manifestação visível de um gene que gera determinada característica ;

DOMINÂNCIA INCOMPLETA :  É um fator genético que será parcialmente expressado  . O alelo dominante  não é completamente dominante sobre o alelo recessivo dando ao heterozigoto um fenótipo intermediário entre os dois fatores  .  Exemplo  um gen que traz a cor vermelha para uma flor  x um gen de que traz a cor branca  em uma dominância incompleta gerará uma flor mista entre as duas cores ( cor de rosa ) ;

  SEXO LIGADO  : Características genéticas presentes em um cromossomo sexual (z )  do sexo masculino . Nesse caso o cromossomo w( fêmea ) determina apenas o sexo e não carrega informações genéticas ;

FATOR  SIMPLES : Somente um gen está presente para uma característica particular em um par homólogo abreviado “SF”  podendo ser chamado de heterozigoto também .

DUPLO FATOR: Os dois gens presentes determinam uma mesma cor , são também chamado de homozigotos ;

 

LOCUS : Posição de um gene no cromossomo , os pares cromossômicos tem locus correspondentes .

 

Agora que temos uma breve noção a respeito de alguns termos genéticos que podem ser utilizados , vamos falar do Diamante de Gould. 

 

Image and video hosting by TinyPic

 

DIAMANTE DE GOULD

 

Vamos falar a respeito do diamante de gould , ou podemos chamá-lo de lady gould , gouldian , gouldian finch , rainbow finch , pássaro arco-íris m gouldians wondrous finch , gouldian grassfinch , roxo-breasted finch entre outros nomes com que é conotado .  Mas seu nome científico é chloebia goldiae ou Erythrurua goldiae .  Foi descoberto por John Gould em 1844 em homenagem ao descobridor foi batizado de diamante de Gould .

Ele tem como origem a Austrália  , atualmente a sua população selvagem encontra-se em grande declínio  , em 1992 foi classificado pela União Internacional para Conservação da Natureza ( IUCN ) como “ameaçado de extinção em seu estado selvagem“  estando em perigo iminente de extinção . Por esse motivo a exportação de exemplares australianos foi proibida desde 1960 .

É uma ave calma , tranquila e vivem em bandos  convivendo pacificamente com outras espécies semelhantes ,  mede certa de  13 cm da cabeça a cauda . Em estado selvagem possui corpos verdes e a cabeça preta , vermelha e mais raramente laranja . Mas em cativeiro apresenta diversas variações e nuances de cores das quais falaremos a seguir :

 

- Cabeça vermelha ( dominante e sexo ligada )

- Cabeça laranja ( autossômica recessiva , exige a presença do gen para cabeça vermelha para poder expressar sua cor )

- Cabeça preta ( recessiva e sexo ligada )

- Peito Roxo ( autossômica dominante )

- Peito branco ( autossômica recessiva )

- Peito lilás ( autossômica , recessivo ao roxo mas dominante ao branco )

- Corpo azul ( autossômica recessiva )

 

- Corpo amarelo ( sexo ligado e codominantes )

- Pastel ( autossômica recessiva )

- Canela ( sexo ligada e recessiva )

- Lutino ( sexo ligada e recessiva )

 

Image and video hosting by TinyPic

 

Existe outras mutações , porém vamos nos deter nas mais comuns presentes em nosso cotidiano.

Abaixo temos as cores mais comuns ilustradas com figuras de machos e suas respectivas fêmeas :

 

CORES E MUTAÇÕES

 

Corpo Verde , cabeça vermelha peito roxo :  Essa ave possui um contorno preto ao redor da máscara ( mais evidente nas fêmeas ) , borda azul em torno do contorno preto , dorso verde , cauda azul e preto , peito roxo ( fêmea mais claro ) abdômen amarelo . Esse é o Gould mais próximo do selvagem .

 

Image and video hosting by TinyPicImage and video hosting by TinyPic

 

                                                                                              

 

 

MACHO                                                                                                                                    FÊMEA 

Corpo verde , cabeça laranja peito roxo Esse exemplar  possui uma mascara laranja  ao invés de vermelha, raro na natureza .  

 

Image and video hosting by TinyPic                                                         Image and video hosting by TinyPic

 

MACHO                                                                                                                                       FÊMEA 

 

Corpo verde cabeça negra , peito roxo : Esse exemplar possui uma máscara negra , é a mutação mais comum na natureza 

 

Image and video hosting by TinyPic                                                      Image and video hosting by TinyPic

 

     MACHO                                                                                                                                 FÊMEA 

 

Corpo verde , cabeça vermelha e peito branco : Nessa ave o peito roxo é substituído pelo branco , essa cor se apresenta em todas as combinações de cor exceto para os machos pasteis diluídos onde o peito é necessariamente roxo.

 

Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic

  

MACHO                                                                                                                                       FÊMEA 

 

Corpo amarelo:  Nesse exemplar a mascara pode ser vermelha, laranja ou cinza  , o contorno ao redor da máscara é cinza . Cauda cinza e o peito pode ser roxo ou branco , abdômen amarelo .

 

Image and video hosting by TinyPic  Image and video hosting by TinyPic

 MACHO                                                                                                                                      FÊMEA 

 

Corpo azul  :  Essas aves possuem mascara salmon ou preta , com o contorno preto seguido de uma borda azul . Abdômen cinza , cauda preto e azul , peito roxo ou branco .

 

Image and video hosting by TinyPic  Image and video hosting by TinyPic

 

MACHO                                                                                                                                        FÊMEA 

 

Prata :  Cabeça salmon ou cinza , borda em volta da máscara é cinza , cauda cinza , abdómen cinza  peito branco ou roxo de acordo com a genética do exemplar .

 

Image and video hosting by TinyPic  Image and video hosting by TinyPic

 

MACHO                                                                                                                                         FÊMEA 

 

Diluído / pastel verde  :  Máscara vermelha amarela ou cinza , contorno cinza ao redor da máscara , borda azul no contorno do cinza . O dorso é um verde pálido (diluído) cauda azul e cinza , peito roxo ( não existe branco ) , abdómen amarelo  ( cores azuis e pretas são reduzidos nessa mutação ) . Essa mutação só se apresenta em machos .

 

Image and video hosting by TinyPic

MACHO 

 

Diluído/pastel azul  : Máscara salmon ou cinza , contorno cinza ao redor da máscara , borda azul em torno do contorno . Cauda azul e cinza , peito roxo ( não pode ser branco ) , abdómen esquanquiçado

 

Image and video hosting by TinyPic

MACHO

 

COMO IDENTIFICAR O SEXO DO DIAMANTE GOULD

 

Um dos grandes entraves enfrentado pelo criador iniciante é diferenciar o sexo de suas aves , abaixo temos algumas dica/instruções para esse fim .

 

No geral a fêmea possui coloração mais esmaecida do que o macho , tanto nas costas , peito e abdómen. A fêmea possui pouca ou nenhuma borda azul em torno da máscara . Se a cabeça for vermelha ou laranja , ela deverá ter muito mais negro em sua mascara do que o macho que tem apenas uma fina borda fina em torno da máscara .  Próximo à época de reprodução , o bico da fêmea fica mais escuro ( preto / vermelho ou laranja de acordo com a cor da máscara ) e o macho tende a clarear . Outra diferença marcante é que somente os machos cantam e na época do acasalamento ao cortejar a fêmea fica saltitando a sua frente freneticamente . 

Image and video hosting by TinyPic

 

Acima temos uma foto de um casal de Goulds corpo verde , cabeça vermelha e peito roxo. Notamos nitidamente as diferenças de sexo , o macho tem a máscara vermelha mais viva e abrangente , o contorno preto da máscara . Na fêmea é maior , o dorso verde em ambos os casos , se apresenta com

uma coloração mais intensa no macho assim como o abdómen amarelo mais esvaecido na fêmea assim como o peito em nuance mais clara .  

 

ALIMENTAÇÃO

 

O diamante de Gould é uma ave granívora  ( alimenta-se de grãos ) . Solto na natureza se alimenta grãos , frutas e insetos . Em cativeiro existe rações próprias para esse tipo de ave .

 

Entre os alimentos mais utilizados podemos destacar uma mistura de alpiste , aveia , colza ,  linhaça,  niger. e painço . Temos também opções de extrusadas .

 

Na época de cria podemos complementar a alimentação com insetos vivos tais como tenébrio e larva de amendoim . São excelentes fontes de proteína , muito necessário na alimentação dos filhotes , mas podendo ser substituído por ovo cozido . Temos também farinhadas industrializadas  que são ótimas na época de cria e é facilmente encontrada em pets e casas do gênero .

 

Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic

 

 

Esses são alguns exemplos de farinhadas existentes no mercado e facilmente encontradas a alimentação com verduras e frutas , desde que sempre devidamente higienizadas , milho tenro é bem aceito na época de cria assim como laranja lima é comum dar-se durante o ano todo .

            Apesar de não ser parte da alimentação , não podemos nos esquecer de fornecemos uma boa fonte de cálcio , utiliza-se com êxito um grit contendo farinha de ostra , excelente fonte de cálcio ou ainda o velho e bom osso de siba

 

Image and video hosting by TinyPic Image and video hosting by TinyPic

 

 OSSO DE SIBA                                                               MIX DE MINERAIS 

 

HÁBITOS COMPORTAMENTAIS

 

Image and video hosting by TinyPic

 

Os Goulds são pássaros que vivem em grupos durante todo o ano , de uma forma nômade . Durante a estação chuvosa encontram-se em  planícies se fartando de sementes das gramas que nascem por lá . Mais adiante migram para as colinas atrás de mais fartura de alimentos e para se reproduzirem . Geralmente aproveitam os buracos feitos em árvores ( eucaliptos ) .

 

            Os filhotes empenados são alimentados pelos pais , enquanto as fêmeas começam nova postura . São sociáveis e não tem o hábito de se amontoarem , ao menos que estejam doentes , são alegres e ativos .

 

            Em seu ambiente de origem fazem a muda de outubro a dezembro , perdem a maior parte de suas penas fatalmente ficando calvos . Aos poucos ficam cheio de cartuchos de penas , dando um aspecto doente à ave mas que finda a muda voltam a sua exuberância de antigamente . Em cativeiro quando os goulds realizam a muda devem ser fornecido alimentos ricos em proteínas ( ovo cozido é uma ótima pedida )  e manter a temperatura estável e em torno de 24 graus .

 

            O Gould possui um forte tendência á doenças respiratórias .É comum pegarem ácaros na via aérea . Para evitar esse acometimento criadores europeus colocam uma gota de ivermectina  diluída ( pour on ) na nuca .

            Obesidade também é um grande entrave a quem deseja cria-lo , é prudente controlar sua alimentação e deixando em voadeiras para se exercitar , principalmente antes da cria.

            Na natureza a época de cria é na segunda metade da estação chuvosa  ( janeiro a abril ) , mas podem continuar a durante a estação seca desde que tenham disponíveis sementes para a sua alimentação , as vezes até mesmo até agosto .

 

            Em cativeiro tem alguns truques e dicas que podem ser seguidos para melhorar a performance da criação .

 

            A gaiola ideal é a modelo argentina  com um ninho tipo caixa externo , pode ser o utilizado na criação de periquitos , ou até mesmo os utilizados por manons . A iluminação deve ser fornecida também por um dispositivo elétrico a fim de aumentar o período de exposição de luz até 11 horas /dia. A temperatura ideal é de no mínimo  19 graus ( facilmente atingida no Brasil ) . Bebedouros e comedouros de preferência externos para minimizar o manuseio e stress  . Água para se banhar com frequência , dois puleiros . O ninho quanto maior privacidade conferir ao casal, menor a chance deles atirarem os filhotes , por isso o indicado é o tipo periquito pois tem uma espécie de antessala ao ninho .     

 Image and video hosting by TinyPic

 

            Acima temos um exemplo de um bom ninho para goulds . Não se esqueça de colocar sempre material para que as fêmeas confeccione o ninho , podemos usar juta cortada em quadrados de 1cm2 e deixar preso as grades para elas desfiarem . Capim seco também serve mais para quem mora na cidade a juta é mais prático e limpa . Cuidado , nada de fios sintéticos .

            Um mês ante do inicio da época de cria , convém reforçar a alimentação da ave com uma dieta de alta qualidade , complementando com farinhada e ovo cozido . Outra dica é usar alimentos vivos como exemplo tenébrios ou larvas de amendoim .

 

            Na época de cria a ponta do bico do macho terá a sua coloração intensificada e ele cantará insistentemente tentando cortejar a fêmea , ele baixa a cabeça com uma rápida agitação  começando a saltitar de frente a fêmea cortejada . Por sua vez a fêmea pronta para acasalamento seu bico escurece . 

 

Image and video hosting by TinyPic

 

Vemos como o bico do macho é bem mais claro somente com a ponta colorida e a fêmea possui o bico bem mais escuro , ambos aptos a reprodução .

            Costuma-se primeiramente colocar o macho na gaiola de cria já montada , observa-se se o mesmo se adentra ao ninho , podemos colocar uma luz mais próxima ao mesmo , ou deixa-lo aberto desde que tenha grades na parte superior ou até mesmo colocar material para incentiva-lo.

            Após o macho ter se familiarizado com o ninho , colocamos a fêmea e se tudo ocorrer bem brevemente a fêmea iniciará a postura , geralmente 01 ovo por dia . Geralmente o choco se inicia no terceiro ou quarto ovo , ambas as aves irão se revezar no choco .

 

            O filhote nasce desprovido de penugem e com pequenos nódulos azul perolados nos cantos do seu bico. Esses nódulos refletem a luz e ajuda os pais a encontrar  suas bocas mesmo na escuridão . É prudente manusear o mínimo possível o casal , podendo o mesmo jogar os filhotes ou simplesmente desprezar o mesmo.

 

Image and video hosting by TinyPic

Bico com os nódulos perolados

 

            Uma dica , caso o filhote seja jogado do ninho separar o macho por divisória ou retira-lo da gaiola e observar a fêmea , se ela abandonar o ninho ou voltar a jogar o filhote a solução é passar a um casal de ama , geralmente utilizado os manons .

            Os filhotes crescem rapidamente , sua pele escurece do rosa claro ao azul acinzentado em poucos dias . Por volta de 9 dias começam a empenar , aproximadamente em 10 dias os pais deixam de chocar os filhotes . Em aproximadamente 20 dias ele encontra-se totalmente emplumado . Sua plumagem oliva vai aos poucos clareando e só toma a sua cor original depois da muda .

 

Image and video hosting by TinyPic

 

            Depois de sair do ninho , manter uma alimentação rica inclusive acrescentando ovos se possível até o término da muda onde começará a dieta afim de não ficarem obesos para a época de criação .É aconselhável não exceder a três rodadas de cria por ano  para não debilitar muito o casal .

Os Goulds podem ser reproduzidos em colônias , mas perde-se em produtividade assim como não se tem o real controle de pareação de casais . Nesses casos ao se iniciar a época de cria não podemos introduzir novos exemplares , fornecer pelo menos 02 ninhos por casal , bem espaçados e em diferentes alturas . Entre 01 e 03 anos compreende-se  o período mais fértil do Gould

 

Ciclos da vida de um Gould

 

            Abaixo temos os ciclos da vida de um Diamante de Gould com suas respectivas idades :

 

Postura : ninhadas de 03 a 08 ovos ( normalidade de 04 a 06 )

Incubação : começa após a postura geralmente do terceiro ao quarto ovo .

 

 

Nascimento : de 14 a 16 dias de incubação

Saída do ninho : por volta de 20 a 25 dias

Desmame : aproximadamente 45 dias de vida

Começo da muda de penas  : de 02 a 03 meses de idade 

Muda completa  : entre 05 e 06 meses de idade

Maturidade sexual : de 06 a 09 meses  estarão aptos a reproduzir

            Espero que tenha ajudado a todos a conhecer essa maravilhosa ave e o seu comportamento , nos próximos artigos  daremos maior ênfase a genética e possíveis acasalamentos .

 

Image and video hosting by TinyPic 

 

Image and video hosting by TinyPic